A sátira mortal!

montagem-mundo-cartunistas-atentado-franca-charles-hebdo-size-598
Caricaturistas mortos no ataque

Gozação ao profeta Maomé teria causado o ataque à revista “ Charlie Hebdo” 

A sede da revista sátira Charlie Hebdo” foi atacada, ontem, dia 07, por extremistas religiosos. Segundo informações dos policiais franceses os autores do ataque gritavam “Vingamos o Profeta!”. Os três homens que invadiram a sede da revista traziam  kalashnikovs e um lança-foguetes. Estavam fortemente armados e preparados para a ação que vitimou fatalmente 12 pessoas.

Acredita-se que a revolta dos extremistas muçulmanos teria começado em 2006 quando a revista satirizou o profeta Maomé. Charlie Hebdo é conhecida mundialmente por fazer críticas ardentes a qualquer pessoa. Além de satirizar o profeta muçulmano, a revista recentemente fez uma sátira, por meio de uma caricatura, ao Papa Francisco. As charges da revista francesa sempre foram independentes e com conteúdos polêmicos.

Conforme foi publicado no portal terra “em novembro de 2011, a sede da revista foi destruída por um incêndio criminoso, já definido como atentado pelo governo na época”. Este fanatismo é extremamente perigoso para a manutenção da mais cristalina liberdade de expressão. Falando nisso, em algumas cidades do Brasil, a afronta à liberdade de expressão ocorre por pessoas fanáticas, não por um líder religioso ou crédulo religioso, mas sim por uma sedenta vontade por poder.

Nesse diapasão, pergunto-me: uma revista como Charlie Hebdo sobreviveria em algumas cidades brasileiras? Ela poderia até vingar, mas para isso teria que enfrentar grandes raposas felpudas. A revista francesa deu uma excelente ideia para NoBarzinho, infelizmente, só precisamos encontrar um cartunista com sangue nos dedos.

NoBarzinho, em homenagem aos caricaturistas mortos na frança, fez uma singela charge. Liberdade de expressão não podem ser apenas palavras jogadas ao vento, como ocorre em alguns municípios coronelistas, precisa ser algo real.

Charge UUUU
Virada de Ano em Rurópolis (PA)

Texto: MF

Charge: MF

Imagens: google.com.br

Apoio textual: portalterra

 

 

 

Comentário