Programa Mais Médicos deverá ficar sem os médicos cubanos

Médico cubano em atendimento

Governo Cubano abandona Mais Médicos após críticas de Bolsonaro

Declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro em relação aos médicos cubanos são ameaçadoras e inaceitáveis para o governo de Cuba.

Na data de hoje (14/11), o governo de Cuba, comunicou que irá retirar do programa Mais Médicos os seus nacionais que atuam no referido programa. Tal anúncio tem como motivo as declarações “ameaçadoras e depreciativas” do presidente eleito, que comunicou modificações “inaceitáveis” no projeto.

Bolsonaro questionou a formação dos especialistas cubanos, condicionou sua permanência no programa à revalidação do diploma e impôs como único caminho a contratação individual, argumentou o governo cubano.

Diante dessa realidade,  o Ministério da Saúde Pública de Cuba tomou a decisão de não continuar participando do programa ‘Mais Médicos’, anunciou o ministério cubano, que comunicou ter informado o governo brasileiro. A decisão significa que os milhares de médicos cubanos que trabalham no Brasil dentro do programa deverão retornar à ilha.

“O povo brasileiro, que fez do Programa Mais Médicos uma conquista social, que confiou desde o primeiro momento nos médicos cubanos, aprecia suas virtudes e agradece o respeito, sensibilidade e profissionalismo com que foi atendido, vai compreender sobre quem cai a responsabilidade de que nossos médicos não podem continuar prestando seu apoio solidário no país”, afirmou o Ministério da Saúde Pública de Cuba.

Fonte: Portal Terra

 

Comentário